Experiência e Perguntas frequentes

Aqui você encontrará as respostas para muitas dúvidas “básicas”, o que pode te evitar ter que me mandar uma mensagem só por causa delas.

Qualquer outra questão que por ventura não esteja respondida aqui… Fique à vontade para me escrever!

 

Você trabalha para alguma empresa atualmente?

Então, já passei sim por agências, mas hoje trabalho por conta própria. Eu me oficializei como micro empreendedor individual (MEI), sendo assim dou preferência à trabalhos como PJ e neste momento estou trabalhando somente desta forma, como prestador de serviços. Eu não descarto totalmente o CLT, mas vai ser muito difícil eu voltar a trabalhar de carteira assinada.

Minhas experiências em empresas incluem manutenção em sites já prontos, migração de hospedagem, sendo a mais relevante delas ter que cuidar de dezenas de lojas virtuais (configuração, manutenção periódica, instalação de plugins quando necessário). As lojas seguiam um template padrão (WordPress) que a empresa tinha e eu era responsável por personalizá-lo de acordo com cada cliente e cuidar de eventuais problemas que aparecessem e/ou melhorias que fossem necessárias (colocar algum plugin, etc). Eu tratava diretamente com os clientes e costumava gravar vídeos da minha tela para ensiná-los a fazer certas coisas que eu não podia fazer por eles (por exigir senha/dados pessoais e etc). Eu fazia todo esse trabalho home-office mesmo.

E é exatamente esse tipo de trabalho que eu procuro, onde eu possa trabalhar sem precisar ir até a empresa. Eu sou uma pessoa bem reservada e que gosta de tranquilidade, de maneira que certas coisas em empresas me incomodam bastante e atrapalham meu rendimento: falação, rádio ligado, interrupções, e eu também não sou do tipo que curte confraternizações e coisas do tipo. Já não sou mais um garoto e portanto tenho responsabilidade, maturidade e disciplina pra fazer as coisas sem precisar que fiquem me vigiando.

E abaixo algumas ressalvas que me fizeram sair das empresas por onde passei:

– Desvio de função/exploração: eu ser contratado pra fazer A mas quererem também que eu faça B, C e D (mas o pagamento não aumenta né). Eu vou fazer o que for combinado, nada mais.

– Horas extras: eu também tenho vida e compromissos. O horário que vai ser cumprido é estritamente o que for previamente combinado.

– Pagamento: se for pra ganhar 1 salário, eu volto pro telemarketing. Se eu investi tempo e dinheiro estudando, me sacrifiquei indo pra aula debaixo de chuva ou com febre, foi pra sair daquela vida. Tenha bom senso na hora de fazer sua proposta.

– Falta de bom senso: me contratar como Júnior (e me pagar como Júnior) mas me tratar como Sênior. Eu falo na entrevista que tenho minhas limitações mas na prática o cara quer que eu resolva tudo e qualquer coisa, sem suporte de ninguém mais experiente. Ou você contrata um Pleno/Sênior (e paga o valor justo por eles) ou entende que eu ainda sou Júnior e me coloca sob a tutela de alguém ou me ajuda com treinamentos.